quarta-feira, 30 de maio de 2018

Petrobras aumenta preço da gasolina em 0,74% nas refinarias

Resultado de imagem para carro abastecendo no postoA Petrobras voltou a aumentar o preço da gasolina, depois de cinco quedas consecutivas do valor do combustível. A partir de amanhã (31), o preço nas refinarias subirá 0,74% e passará a ser de R$ 1,9671 por litro.

Em maio, o preço do combustível nas refinarias da Petrobras acumula alta de 9,42%, já que em 28 de abril o litro custava R$ 1,7977.Fonte/
acajutibanews.com

Rui Costa marca reunião para definir futuro de Lídice da Mata



A menos de cinco meses das eleições, o governador Rui Costa ainda não divulgou a chapa que vai para a disputa em outubro. A previsão é que ele o faça nos primeiros dias do mês de junho. Encabeçada por ele, a composição terá Jaques Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD), nas vagas para Senado, e João Leão (PP) na vice.
[Rui Costa marca reunião para definir futuro de Lídice da Mata]A incógnita é o espaço que será dado a senadora Lídice da Mata (PSB), que, apesar de tentar reeleição, será preterida na chapa. Informações chegadas ao BNews dão conta de que Rui Costa deve até o fim da semana conversar com a socialista. 
O arranja pensando por Rui inclui Lídice na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados e uma projeção para 2020. Explica-se. O grupo político ligado a Rui e aos partidos que compõem o seu governo apoiariam a candidatura de Lídice à prefeitura de Salvador daqui a dois anos.
Apesar de haver essa projeção, existe a possibilidade de se discutir um nome à sucesso do prefeito ACM Neto depois. Isso porque o secretário de Educação, Walter Pinheiro, que ficara de fora da disputa deste ano,  pode pleitear a vaga ao Palacio Thomé de Souza em 2020.
Em 2008, ele disputou com ACM Neto, sendo derrotado no segundo turno com 41,54% dos votos contra João Henrique, que se reelegeu.
BNews tentou contato com a senadora, mas não obteve êxito. Segundo a assessoria da parlamentar, ela estava em voo vindo para Salvador.fonte/bocaonews.

Feira de Inhambupe sente os efeitos da greve dos caminhoneiros na manhã dessa quarta-feira




A greve dos caminhoneiros atingiu a Feira de Inhambupe, que tem um movimento maior nos dias de quarta e sábado.
O movimento foi fraquíssimo na manhã dessa quarta(30).
A greve já está no 10º dia, segundo o site do G1, 87% da população apoiam a greve e rejeita os altos impostos.

A feira é frequentada por pessoas de toda a região, muitos falaram que já vem faltando muitos produtos.Fonte/http://www.educastro.net.br/

Carreta com gasolina chega a Inhambupe com escolta armada. Fila se forma!



Depois de dez dias de paralisação nacional mobilizada pelos caminhoneiros, chegou no fim da madrugada desta quarta-feira (30), a primeira carreta para descarregar combustível no município de Inhambupe.

O veículo estacionou por volta das 5h da manhã no Posto Papai Noel localizado na Avenida Governador Lomanto Júnior, e às 6h já havia uma fila gigante de carros prontos para serem abastecidos.

No último sábado (26), todos os postos do município estavam desabastecidos  e a frota da cidade estava carente de combustível.

Até o fechamento desta matéria o RL News não soube informar a quantidade de combustível que chegou, mais a fila de automóveis já estava quilométrica. A gasolina está sendo vendida a R$ 4,54.
Segundo informações, uma quantidade de combustível será para abastecer as ambulâncias, Samu e viaturas.

Este é o primeiro posto de Inhambupe a receber combustível depois da crise proveniente da paralisação dos caminhoneiros.

Inhambupe já estava no limite devido a falta de combustível. A gasolina atingiu o valor de R$ 4,99. Em meio a inicio da crise a motoristas fizeram filas para bastecer e em pouco tempo quatro postos ficaram sem gasolina e etanolO gás de cozinha ficou no limite,  As ambulâncias foram afetadas e ficaram paradas, as aulas no município da rede estadual e municipal foram suspensas e por fim, até o momento, nesta segunda (29), transporte alternativo limitou as atividades. Fonte/ronaldoleitenews.com.b

quinta-feira, 24 de maio de 2018

População faz fila nos postos de Inhambupe; combustível começa a faltar

O medo de faltar gasolina nos próximos dias, por causa da greve dos caminhoneiros, levou a uma corrida de motoristas a postos de combustíveis de Inhambupe. Por volta das 12h30 de hoje (24), pelo menos três postos tinham filas com mais de 20 carros aguardando para abastecer. Em um deles, um funcionário informou à reportagem que o estoque de gasolina era suficiente até meia-noite. Há registro de posto fechado pois o estoque já está zerado.

Há três dias, caminhoneiros estão parados nas estradas e promovem bloqueios em protesto, entre outras reivindicações, contra a alta do preço do diesel.

Além do abastecimento de combustível, a paralisação já afeta o fornecimento de produtos para supermercados em diversos estados e o transporte público.

Hoje pela manhã os RL New publicou que o preço do litro da Gasolina chegou a R$ 4,99 em Inhambupe
Fonte/RL News

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Inhambupe em Luto Oficial pelo falecimento de sua mãe, Luiza Maria da Silva Costa

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo
O prefeito de Inhambupe Fortunato Silva Costa (Nena), comunica à população e lamenta profundamente o falecimento da sua mãe, Luiza Maria da Silva Costa, de morte natural, em casa, aos 92 anos de idade, ocorrido na manhã desta quarta-feira (16). 

o velório acontecerá na própria residência situada na Avenida Lomanto Junior, de onde sairá às 10h o féretro para o cemitério Nossa Senhora Conceição passando na igreja Matriz. Ao comentar sobre a perda, o prefeito descreveu a trajetória de vida de dona Luiza como um exemplo de mulher e mãe. “Ela era tudo para mim. Uma pessoa guerreira, humana, religiosa e trabalhadora, que criou os filhos com muito amor, carinho, dignidade e respeito”, afirmou.  

Em decorrência dessa dolorosa perda, o chefe do Executivo municipal decreta luto oficial por três dias.[Ascom/Inhambupe]

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Justiça determina que Ebal readmita 1.700 funcionários demitidos da Cesta do Povo

Justiça determina que Ebal readmita 1.700 funcionários demitidos da Cesta do PovoA Justiça determinou que a Empresa Baiana de Alimentos (Ebal) readmita mais de 1.700 funcionários demitidos desde 2014 dos supermercados da rede Cesta do Povo. 

A ação que motivou a decisão judicial foi movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). Não há mais detalhes sobre o caso e se há possibilidade de recurso por parte do governo do Estado, principal acionista da empresa até a venda dela para a NGV Empreendimentos e Participações, em abril deste ano (veja aqui). Em dezembro do ano passado, o MPT já havia obtido liminar similar, determinando a readmissão de todos os funcionários e proibindo novas demissões (relembre). 

No entanto, a decisão teve os efeitos suspensos em 2 de março. Agora, volta a valer, após a nova determinação.fonte/Bahia noticia,

Sem teto ocupam imóveis abandonados

Casarões históricos fechados são invadidos - Foto: Raul Spinassé / Ag. A TardeA tragédia ocorrida no último dia 1º de maio, com o incêndio e desabamento de um prédio no centro da capital paulista, chamou a atenção para riscos existentes em Salvador em ocupações irregulares de imóveis abandonados.
Segundo o coordenador do Movimento dos Sem Teto de Salvador (MSTS), Idelmário Proença, na capital baiana há, pelo menos, quatro imóveis ocupados por diversas famílias que fazem parte do movimento.
Levantamento de A TARDE de 2016 já apontava cerca de 500 imóveis abandonados, aproximadamente 200 em áreas do Centro Antigo. Se adequados, esses imoveis abrigariam cerca de 50 mil pessoas, caso todos esses espaços fossem reocupados.
Atualmente, os números não baixaram: de acordo com dados da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), são mais de 400 casarões e prédios abandonados na região do Centro Histórico e do Centro Antigo. A Defesa Civil (Codesal) realiza o projeto Casarões, que constatou que 143 imóveis apresentam risco muito alto nas estruturas; 123 têm risco alto; 65, risco médio; 78, risco baixo; e 28 estão fora de perigo de desabamento.
Com a desocupação desses imóveis, a cidade enfrenta diariamente o problema social da ocupação irregular, que não se restringe apenas a estes locais. Há ocupações em prédios e casas abandonadas de Cajazeiras, Estrada do Coqueiro Grande (entre Fazenda Grande II e III e Trobogy), em um condomínio que teve obras iniciadas em 2008, e que deviam ter terminado em 2011, além de localidades como a ladeira Água Brusca, entre outras.
Em nota, a Sedur informou que iniciou, última quinta-feira, a notificação dos donos de imóveis ocupados para a realização da manutenção, uma vez que, de acordo com o Código de Polícia Administrativa de Salvador (Lei 5503/99), é dever do proprietário zelar pela unidade imobiliária. Segundo a pasta, junto com a (Codesal) e a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), foi iniciada ação para quantificar os imóveis ocupados irregularmente na cidade.
Movimento
Segundo Idelmário Proença, o MSTS iniciou as atividades em julho de 2003, no auge da crise habitacional, quando ocuparam o primeiro terreno na Estrada Velha do Aeroporto. Aproximadamente 472 famílias participaram da invasão, "motivadas pela falta de interesse social dos governantes e da prefeitura". Conforme informou, 37 imóveis já foram ocupados desde então, com cerca de cinco mil famílias participantes.
Hoje, porém, o movimento assume a ocupação em quatro locais: duas invasões no Comércio, uma na avenida Jequitaia e outro na Calçada.
Sobre os riscos de viverem nestas ocupações, o coordenador diz que até hoje nada aconteceu por conta do cuidado das próprias famílias, "acostumadas a conviverem com o descaso das autoridades". Idelmário diz que o MSTS recebeu apenas em 2008 uma única ajuda no final do mandato do governo do estado, que consistiu em um conjunto habitacional com 242 moradias no mesmo lugar ocupado tempos atrás pela primeira vez. Ele recorda um fato ocorrido ainda no início das ocupações, quando barracos pegaram fogo na Estrada Velha.`Por sorte, lembra, ninguém se feriu.
Dados oficiais
A Defesa Civil de Salvador (Codesal), diz não possuir dados referentes às ocupações irregulares citadas por Proença. Não possuem também ações, números, quantificação e nem o perfil dos ocupadores, e limitou-se a informar que realiza vistorias preventivas em qualquer imóvel de Salvador, e que as solicitações podem ser feitas na central 199, que funciona 24 horas.
Foram solicitadas informações ao Corpo de Bombeiros, mas até o fechamento desta edição não houve resposta.
Ladeira da Montanha
Na ladeira da Montanha, abaixo do elevador Lacerda e da sede da prefeitura, uma cratera foi aberta na encosta que os sustentam. Dentro de um buraco, literalmente, vivem uma mulher e dois filhos. Ela pediu para não ser identificada por medo de ser desalojada, mas revelou que está há vários meses no local por falta de outro lugar para viver com os filhos.
Ela veio do interior em busca de uma vida melhor, mas se esbarrou nas dificuldades e burocracias. Perguntada se não tem medo de viver ali, ela disse: "Se desabar aqui, cai o elevador e a prefeitura também. Eu realmente não tenho para onde ir, não é por opção, tenha certeza", e voltou a praticamente esconder-se no buraco improvisado.
Luís Gonzaga Alves Jesus, 56, é um dos fundadores do Movimento População de Rua. Ele revela que durante 25 anos esteve nas ruas e em ocupações. "Me criei na rua, invadi, ocupei, morei, por falta de opção. Foi muito difícil e continua sendo impossível definir em palavras tudo que passei".
Nilza Castro de Olivira, 61 anos, vende água para conseguir o sustento. Não tem filhos, foi abandonada e define a experiência morando em ocupações como "assustadora", até ser acolhida pelo Movimento Moradores de Rua. A ambulante afirmou conviver constantemente com o medo de perder a vida, por conta da falta de infraestrutura, higiene e condições básicas dos lugares que já ocupou.
"Passei muitas dificuldades e sofrimento. Tinha de pedir autorização para entrar e sair no prédio, não tinha liberdade. Passei fome, pois não podíamos entrar e sair por causa do tráfico". Hoje, ela mora em um outro prédio, com apartamento improvisado, no bairro da Saúde, com piso revestido por madeiras, e paredes de tabico. "Tenho medo de pegar fogo porque a energia é gato. Tenho medo de qualquer hora perder a vida".
O valor pago pelo lugar ela diz sair de um auxílio recebido de uma pastoral católica: "Estou com medo de perder esse benefício também, pois eu ganhava auxílio-aluguel pela Codesal, que depois cortou. Morei em um prédio na Saúde que não existe mais, por esse motivo cortaram".
Aos 53 anos Sandra da Silva faz parte do Movimento Força Feminina (MFF), que realiza ações de acolhimento para ex-profissionais do sexo, antiga profissão dela. Abandonada ainda jovem pela família, ela morou nas ruas e de forma irregular em Recife, São Paulo e Salvador, onde vive atualmente, abrigada pelo MFF.
Nos prédios invadidos em que esteve, disse sair sempre por conta do "prazo de validade". E explica: "Chega um momento que já não é mais possível morar no lugar. Lixo, fios, insegurança. O medo até de dormir". Ela disse que já tentou recursos e programas do governo, sem sucesso. "Estou cansada de tanto tentar uma moradia, não consigo. O jeito será voltar a ocupar algum lugar junto a outras pessoas na mesma situação".
A fragilidade e desconexão das políticas públicas é, na opinião da vereadora Aladilce Souza (PCdoB), uma das causas para esta situação. Segundo ela, o orçamento municipal de 2017 destinou R$ 116,1 milhões para a Semps."Além de ser um baixo orçamento, quase metade dele é investido na área administrativa da pasta", pontuou a parlamentar. Para ela, as possíveis soluções para a problemática resultariam de olhares amplos, focados nas políticas de prevenção e ações mais eficazes dos órgãos.
"Salvador é capital que tem o menor orçamento para atender a população nesta situação. É necessário que haja sensibilidade para dar atenção a estas pessoas. O que aconteceu em São Paulo pode acontecer aqui e não temos um monitoramento. Os órgãos públicos não estão fazendo esse monitoramento, nem tampouco oferecendo condições dignas para essas pessoas. São 30 anos da Constituição, mas nós estamos vivendo o rebaixamento das políticas sociais", lamentou.
Fonte/Jornal atarde

Surfista que morreu pegando onda no Rio pode virar santo católico

Um surfista que morreu pegando onda pode se tornar o primeiro santo carioca. Já corre no Vaticano o processo de beatificação de Guido Schäffer (1974-2009), o jovem médico e seminarista que adorava o mar e era conhecido em toda a zona sul do Rio de Janeiro por seu trabalho de atendimento aos mais pobres e sua pregação religiosa.

Em 1.º de maio - data que marcou os nove anos de sua morte -, uma missa rezada na Praia do Recreio dos Bandeirantes pelo cardeal arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, para mais de mil pessoas, comprovou a crescente popularidade da candidatura de Guido ao concorrido panteão dos santos católicos. 
Para que Guido seja proclamado beato será necessária a comprovação de um milagre - no caso, uma cura que não possa ser explicada pela ciência. Para a canonização, é preciso comprovar um segundo milagre.
Quem entra na Igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, na zona sul, tem uma noção da importância de Guido na comunidade. Desde que os restos mortais do surfista foram transferidos para a igreja, em 2015, os fiéis se reúnem ali para agradecer as graças alcançadas. A quantidade de velas, flores e ex-votos (presente dado pelo fiel ao santo de devoção) dão a dimensão da popularidade de Guido. "Eu sou um dos grandes milagres de Guido", disse Tatiana Ribeiro, de 35 anos.
Ela contou que há três anos se submeteu a uma cirurgia bariátrica, sofreu uma complicação e quase morreu. Sua mãe sonhou com um jovem que apontava, num exame de imagem, o lugar exato onde havia uma fístula. A mãe de Tatiana não conhecia e muito tempo depois, vendo um santinho, reconheceu o jovem que aparecera no sonho.
"Guido era um São Francisco do Rio", compara padre Jorjão, da paróquia da Nossa Senhora da Paz, amigo pessoal de Guido e autor do livro O Santo Surfista. "Ele reunia grupo de jovens médicos de todas as especialidades para atender aos pobres gratuitamente; resgatava a dignidade de pessoas que moravam na rua; atendia os drogados."
História
Guido nasceu em 22 de maio de 1974, em Volta Redonda. Filho do médico Guido Vidal Schäffer e da dona de casa Maria Nazareth Schäffer, mudou-se para Copacabana, na zona sul, onde passou a juventude entre a escola, a praia e a igreja. Guido seguia uma vida típica de jovem de classe média criado na zona sul do Rio nos anos 90: se formou em Medicina, começou a trabalhar e, namorando sério havia alguns anos, chegou a marcar a data do casamento. 
Foi em 2000, durante excursão religiosa com a família a Roma, que Guido percebeu que deveria seguir o sacerdócio. Estudou filosofia e teologia e estava prestes a ser ordenado padre quando morreu pegando onda com amigos no Recreio, no feriado do Dia do Trabalho de 2009, aos 34 anos. Foi atingido na parte de trás do pescoço por uma prancha desgovernada. O golpe o fez desmaiar e ele acabou morrendo afogado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.Fonte/correio24horas